Para experimentar as funcionalidades deste website, são necessários cookies. Por favor ative os cookies e atualize o navegador. Após a atualização, uma gestão de diálogo de cookies será apresentada.

Este website utiliza cookies por razões de funcionalidade, conforto e estatística. Você pode alterar essa configuração a qualquer tempo. Se você concorda com o uso de cookies, por favor clique em “SIM, eu concordo”. Nossa política de privacidade

 

Sedes verdes

Sedes verdes

A Bosch em Cingapura

A Bosch está presente em Cingapura desde 1923. Ela é representada em Cingapura por quatro empresas - Robert Bosch (SEA) Pte Ltd, Bosch Rexroth Pte Ltd, Bosch Packaging Technology Pte Ltd e BSH Home Appliances Pte Ltd.

Energias renováveis, construção compatível ambientalmente e uso econômico de recursos naturais contribuem para a redução continua de emissões de CO2 nas localidades Bosch. As sedes regionais do Sudeste Asiático que foram abertas em Cingapura em 2010 são um bom exemplo. Elas são equipadas não apenas com um sistema fotovoltaico, mas também contam com uma proteção solar móvel que reduz em 25 por cento a quantidade de calor que penetra no prédio, reduzindo significativamente a necessidade de resfriamento. O Ministro da Construção de Cingapura concedeu ao local a classificação Platina, a mais alta no programa "Marca Verde". Esta certifica que os requisitos de energia anuais do prédio estão no mínimo 30 por cento abaixo do limite legalmente prescrito em Cingapura. O prédio também recebeu o Prêmio Pioneiro Solar do Programa de Energia Limpa.

As sedes verdes em Cingapura são apenas um exemplo de como a Bosch assegura o uso eficiente de energia em suas atividades de construção. O novo centro de pesquisa em Renningen, por exemplo, conta com sua própria planta de tratamento de diafragma para tratamento de água de serviço. Além disto, a água da chuva é usada para resfriar o prédio. Estas medidas permitem economias de 30.000 metros cúbicos de água potável por ano. Em janeiro de 2014, uma planta de aquecimento por biomassa em Rodez, França, fornece uma média de 90 por cento do aquecimento requerido. Além disto, vários locais da empresa usam o calor perdido gerado por seus processos de produção para reduzir seus requisitos de energia.